Trabalhadores da Gerdau aprovam acordo que vai injetar R$ 3 milhões na economia

Assembleia aprovou renovação da Convenção Coletiva e uma proteção contra a reforma trabalh

Escrito por: Guilherme Moura - Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba • Publicado em: 09/11/2017 - 12:15 Escrito por: Guilherme Moura - Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba Publicado em: 09/11/2017 - 12:15

Guilherme Moura

Os trabalhadores da Gerdau de Pindamonhangaba, que estavam ameaçando entrar em greve pela Campanha Salarial, aprovaram nessa quinta-feira, dia 9, a proposta que irá injetar R$ 3 milhões na economia da cidade.

Duas paralisações de uma hora já haviam acontecido na fábrica. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, depois do comunicado de greve aprovado, foi apresentada a proposta de pagamento de um abono salarial de R$ 1.800, além do reajuste da inflação, calculado em 1,73%.

Também está garantida a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho, com direitos específicos de metalúrgicos, e a inclusão da cláusula de “Salvaguarda”, que determina que todas as medidas da reforma trabalhista sejam negociadas previamente com o sindicato.

Segundo o presidente do sindicato, Herivelto Vela, no início das negociações, quando ocorreu a primeira paralisação, a empresa não aceitava pagar nada de reajuste, nem de abono.

“Está claro que a Gerdau só apresentou essa última proposta pela ameaça de greve que foi feita e que contou com mobilização de todos os turnos. Isso que deu força para o sindicato na mesa de negociação e permitiu alcançar uma proposta que contempla os trabalhadores antes mesmo da greve”, disse Vela.

O abono será pago a todos os trabalhadores, inclusive temporários, afastados e demitidos após 1º de setembro. A Gerdau de Pindamonhangaba emprega cerca de 1.700 trabalhadores na produção de laminados de aço.

 

Título: Trabalhadores da Gerdau aprovam acordo que vai injetar R$ 3 milhões na economia, Conteúdo: Os trabalhadores da Gerdau de Pindamonhangaba, que estavam ameaçando entrar em greve pela Campanha Salarial, aprovaram nessa quinta-feira, dia 9, a proposta que irá injetar R$ 3 milhões na economia da cidade. Duas paralisações de uma hora já haviam acontecido na fábrica. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, depois do comunicado de greve aprovado, foi apresentada a proposta de pagamento de um abono salarial de R$ 1.800, além do reajuste da inflação, calculado em 1,73%. Também está garantida a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho, com direitos específicos de metalúrgicos, e a inclusão da cláusula de “Salvaguarda”, que determina que todas as medidas da reforma trabalhista sejam negociadas previamente com o sindicato. Segundo o presidente do sindicato, Herivelto Vela, no início das negociações, quando ocorreu a primeira paralisação, a empresa não aceitava pagar nada de reajuste, nem de abono. “Está claro que a Gerdau só apresentou essa última proposta pela ameaça de greve que foi feita e que contou com mobilização de todos os turnos. Isso que deu força para o sindicato na mesa de negociação e permitiu alcançar uma proposta que contempla os trabalhadores antes mesmo da greve”, disse Vela. O abono será pago a todos os trabalhadores, inclusive temporários, afastados e demitidos após 1º de setembro. A Gerdau de Pindamonhangaba emprega cerca de 1.700 trabalhadores na produção de laminados de aço.  



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.