Participantes dos cursos de formação da CUT-SP e Escola Sindical relatam experiências

Cursos auxiliam no fortalecimento das práticas de mobilização e debates dos sindicatos com suas bases

Escrito por: Redação CUT São Paulo* • Publicado em: 31/10/2016 - 08:20 Escrito por: Redação CUT São Paulo* Publicado em: 31/10/2016 - 08:20

Fotos: CUT-SPFotos: CUT-SPAo fim do primeiro módulo dos cursos de formação oferecidos pela CUT-SP e a Escola Sindical SP, os participantes, entre dirigentes, lideranças, militantes e assessores sindicais, relataram as trocas e aprendizados desse momento. Os relatos podem ser conferidos abaixo.

Nos próximos meses, esses participantes se encontrarão novamente para dar continuidade aos módulos de formação sobre “Estado, Desenvolvimento, Políticas Públicas, Direitos Humanos e Ação Regional - DPPDHAR”, que aborda o debate sobre a intervenção sindical da CUT nas disputas sobre a concepção de desenvolvimento, Estado, democracia, direitos humanos, educação integral dos trabalhadores e mecanismos de controle social, visando organizar os cutistas nos espaços institucionais e ampliar a participação popular na gestão das políticas públicas, e também no curso de “Formação de Formadores”, que traz temas como a concepção de educação na vida, no trabalho e no movimento sindical, os tipos de escola, pensadores da educação, educação popular e a estrutura da central sindical.

Para ter mais informações sobre os cursos, entre em contato pelo e-mail escolasp@uol.com.br.

Confira os relatos:

Curso de DPPDHAR

Compreender o atual momento de golpe à democracia e de desmonte do Estado e das políticas públicas a partir de uma reflexão histórica e teórica sobre a formação da sociedade e Estado brasileiro. Este foi o objetivo central do 1º módulo do programa de Formação sobre “Estado, Desenvolvimento, Políticas Públicas, Direitos Humanos e Ação Regional - DPPDHAR”, realizado em Cajamar, nos dias 18 a 21 de outubro.

Participaram 14 dirigentes, sendo 4 mulheres e 9 homens, de entidades do Estado de São Paulo da área de saúde, agentes comunitários de saúde, petroleiros, metalúrgicos, municipais, liderança do movimento social, entre outros.

A maioria dos participantes atua como conselheiros das políticas de saúde, gestão de saúde, saúde do trabalhador, educação, universidades estaduais paulistas, direitos das mulheres, combate ao trabalho escravo e cultura.

A abordagem do Programa DPPDHAR é feita a partir da interseccionalidade das categorias classe, gênero/sexo e raça/etnia, pessoas com deficiência e geração. Foi debatido o conceito de democracia e de Estado democrático de direito, seus desafios e fragilidades na cultura política brasileira, permeada pela judicialização da política, suas implicações nos modelos de desenvolvimento e os limites impostos à participação popular. Isso permitiu aprofundar as reflexões sobre a estratégia da CUT e o papel de conselheiros.

O DPPDHAR tem três módulos e os participantes realizam atividades intermodulares: estudos e pesquisas sobre políticas públicas, valorizando as experiências de organização e participação dos trabalhadores.

O módulo iniciou com uma Roda de Diálogo sobre Conjuntura, integrando os educadores do Curso de Formação de Formadores (FF). Participaram da Roda Sueli Veiga, Hélcio Marcelino, Sebastião Cardozo e Telma Victor. Nos demais momentos específicos do DPPDHAR foram feitas leituras coletivas, dinâmicas de grupo, exposições dialogadas, permitindo uma vivência pedagógica coletiva. Na tarde do penúltimo dia, a turma recebeu a dirigente Graça Costa, Secretária de Relações de Trabalho da CUT Nacional, que debateu sobre o golpe no Brasil, atualizando os princípios da CUT para o enfrentamento à retirada de direitos. No último dia, os participantes avaliaram positivamente o conhecimento trabalhado, o aprendizado, a participação e apontaram a necessidade da formação do DPPDHAR ser ampliada.


Curso de Formação de Formadores

Capacitar dirigentes, lideranças, militantes e assessorias sindicais para atuarem como formadores militantes, nos diferentes espaços da rede de formação cutista, é o objetivo central do Programa de Formação de Formadores da CUT.

Realizado pela Secretaria Estadual de Formação da CUT-SP e pela Escola Sindical SP, com acompanhamento da Secretaria Nacional de Formação da CUT, o módulo 1 do Programa de Formação de Formadores, foi realizado na Cooperinca em Cajamar de 18 a 20 de outubro de 2016. Os participantes que vão compor a rede de formadores da CUT estão empolgados com o Programa Nacional de Formação.

Estiveram presentes 28 (sendo 11 mulheres e 17 homens) dirigentes sindicais, trabalhadores de subsedes da CUT-SP e assessores de sindicatos e de ramos como administração pública, alimentação, comércio, educação, financeiro, metalúrgico, municipais, químicos, saúde, urbanitários e as subsedes Araçatuba, capital, Campinas, ABC, São Carlos, Osasco, Guarulhos e Presidente Prudente estavam representadas.

O curso de “Formação de Formadores” teve como temas a concepção de educação na vida, no trabalho e no movimento sindical, os tipos de escola, pensadores da educação, educação popular e o Programa Nacional de Formação (PNF) discutido no XIX Encontro Nacional de Formação (ENAFOR).

Durante o curso foram realizados trabalhos em grupo, dinâmicas de animação, vídeos, leituras coletivas de texto e experiências foram trocadas entre todos os participantes. Ao final do programa formativo, os participantes avaliaram o curso positivamente.

Os módulos 2, 3 e 4 do curso estão previstos para os próximos meses.

Protesto
Durante as atividades, os participantes dos cursos de Formação de Formadores, DPPDHAR e Juventude dos Rurais, realizaram um manifesto contra a PEC241, que ameaça direitos da sociedade em áreas como saúde pública e educação. 

* Com textos dos participantes dos cursos de formação da CUT-SP e Escola Sindical SP

Título: Participantes dos cursos de formação da CUT-SP e Escola Sindical relatam experiências, Conteúdo: Ao fim do primeiro módulo dos cursos de formação oferecidos pela CUT-SP e a Escola Sindical SP, os participantes, entre dirigentes, lideranças, militantes e assessores sindicais, relataram as trocas e aprendizados desse momento. Os relatos podem ser conferidos abaixo. Nos próximos meses, esses participantes se encontrarão novamente para dar continuidade aos módulos de formação sobre “Estado, Desenvolvimento, Políticas Públicas, Direitos Humanos e Ação Regional - DPPDHAR”, que aborda o debate sobre a intervenção sindical da CUT nas disputas sobre a concepção de desenvolvimento, Estado, democracia, direitos humanos, educação integral dos trabalhadores e mecanismos de controle social, visando organizar os cutistas nos espaços institucionais e ampliar a participação popular na gestão das políticas públicas, e também no curso de “Formação de Formadores”, que traz temas como a concepção de educação na vida, no trabalho e no movimento sindical, os tipos de escola, pensadores da educação, educação popular e a estrutura da central sindical. Para ter mais informações sobre os cursos, entre em contato pelo e-mail escolasp@uol.com.br. Confira os relatos: Curso de DPPDHAR Compreender o atual momento de golpe à democracia e de desmonte do Estado e das políticas públicas a partir de uma reflexão histórica e teórica sobre a formação da sociedade e Estado brasileiro. Este foi o objetivo central do 1º módulo do programa de Formação sobre “Estado, Desenvolvimento, Políticas Públicas, Direitos Humanos e Ação Regional - DPPDHAR”, realizado em Cajamar, nos dias 18 a 21 de outubro. Participaram 14 dirigentes, sendo 4 mulheres e 9 homens, de entidades do Estado de São Paulo da área de saúde, agentes comunitários de saúde, petroleiros, metalúrgicos, municipais, liderança do movimento social, entre outros. A maioria dos participantes atua como conselheiros das políticas de saúde, gestão de saúde, saúde do trabalhador, educação, universidades estaduais paulistas, direitos das mulheres, combate ao trabalho escravo e cultura. A abordagem do Programa DPPDHAR é feita a partir da interseccionalidade das categorias classe, gênero/sexo e raça/etnia, pessoas com deficiência e geração. Foi debatido o conceito de democracia e de Estado democrático de direito, seus desafios e fragilidades na cultura política brasileira, permeada pela judicialização da política, suas implicações nos modelos de desenvolvimento e os limites impostos à participação popular. Isso permitiu aprofundar as reflexões sobre a estratégia da CUT e o papel de conselheiros. O DPPDHAR tem três módulos e os participantes realizam atividades intermodulares: estudos e pesquisas sobre políticas públicas, valorizando as experiências de organização e participação dos trabalhadores. O módulo iniciou com uma Roda de Diálogo sobre Conjuntura, integrando os educadores do Curso de Formação de Formadores (FF). Participaram da Roda Sueli Veiga, Hélcio Marcelino, Sebastião Cardozo e Telma Victor. Nos demais momentos específicos do DPPDHAR foram feitas leituras coletivas, dinâmicas de grupo, exposições dialogadas, permitindo uma vivência pedagógica coletiva. Na tarde do penúltimo dia, a turma recebeu a dirigente Graça Costa, Secretária de Relações de Trabalho da CUT Nacional, que debateu sobre o golpe no Brasil, atualizando os princípios da CUT para o enfrentamento à retirada de direitos. No último dia, os participantes avaliaram positivamente o conhecimento trabalhado, o aprendizado, a participação e apontaram a necessidade da formação do DPPDHAR ser ampliada. Curso de Formação de Formadores Capacitar dirigentes, lideranças, militantes e assessorias sindicais para atuarem como formadores militantes, nos diferentes espaços da rede de formação cutista, é o objetivo central do Programa de Formação de Formadores da CUT. Realizado pela Secretaria Estadual de Formação da CUT-SP e pela Escola Sindical SP, com acompanhamento da Secretaria Nacional de Formação da CUT, o módulo 1 do Programa de Formação de Formadores, foi realizado na Cooperinca em Cajamar de 18 a 20 de outubro de 2016. Os participantes que vão compor a rede de formadores da CUT estão empolgados com o Programa Nacional de Formação. Estiveram presentes 28 (sendo 11 mulheres e 17 homens) dirigentes sindicais, trabalhadores de subsedes da CUT-SP e assessores de sindicatos e de ramos como administração pública, alimentação, comércio, educação, financeiro, metalúrgico, municipais, químicos, saúde, urbanitários e as subsedes Araçatuba, capital, Campinas, ABC, São Carlos, Osasco, Guarulhos e Presidente Prudente estavam representadas. O curso de “Formação de Formadores” teve como temas a concepção de educação na vida, no trabalho e no movimento sindical, os tipos de escola, pensadores da educação, educação popular e o Programa Nacional de Formação (PNF) discutido no XIX Encontro Nacional de Formação (ENAFOR). Durante o curso foram realizados trabalhos em grupo, dinâmicas de animação, vídeos, leituras coletivas de texto e experiências foram trocadas entre todos os participantes. Ao final do programa formativo, os participantes avaliaram o curso positivamente. Os módulos 2, 3 e 4 do curso estão previstos para os próximos meses. Protesto Durante as atividades, os participantes dos cursos de Formação de Formadores, DPPDHAR e Juventude dos Rurais, realizaram um manifesto contra a PEC241, que ameaça direitos da sociedade em áreas como saúde pública e educação.  * Com textos dos participantes dos cursos de formação da CUT-SP e Escola Sindical SP



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.