Oposição pede renúncia de Temer e movimentos populares querem "Diretas Já"

Manifestações estão marcadas para esta quinta (18) e grande mobilização para o próximo domingo (21)

Escrito por: Mauro Ramos - Brasil de Fato • Publicado em: 18/05/2017 - 10:18 Escrito por: Mauro Ramos - Brasil de Fato Publicado em: 18/05/2017 - 10:18

Paulo Pinto AGPT Manifestantes fecham as duas vias da avenida Paulista pedindo eleições já

A oposição reagiu fortemente às denúncias reveladas pelo jornal O Globo sobre ações ilegais de Michel Temer, feitas pelos donos da multinacional brasileira JBS. Manifestações estão sendo feitas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, e no DF pedindo a renúncia imediata de Michel Temer. 

"É um dia triste para todos nós brasileiros", disse o vereador paulistano Eduardo Suplicy (PT). “Isto é da maior gravidade. Uma vez confirmadas estas denúncias, avalio que não há mais alternativa que Michel Temer renuncie ao seu mandato, e colaborar para que sejam organizadas eleições livres e diretas o quanto antes", avaliou ainda em video publicado em sua página no Facebook.

Sobre a especulação  sobre a vericidade da notícia, Suplicy disse: "o fato de Temer se trancar no Palácio do Planalto como seus principais auxiliares e o presidente da Câmara dos Deputados, constitui um indício fortíssimo de que a denúncia do jornal O Globo é verdadeira”.

O vereador e ex senador ainda se referiu às denúncias que o jornal revelou sobre Aécio Neves, quem teria pedido R$ 2 milhões aos donos da JBS: “E é importantíssimo que se faça a devida apuração também do comportamento do senador Aécio Neves, por que em sendo verdade o comportamento referente a este dinheiro que ele teria recebido, então também convém que ele renuncie ao seu cargo de senador”.

Deputados e senadores do Partido dos Trabalhadores se reuniram à noite para organizar a atuação das bancadas. A senadora Gleisi Hoffmann considera que a partir de agora não existem outra opções para além da renúncia de Temer: “Não tem como aceitar a continuidade do Temer diante destes fatos, e não podemos aceitar outra saída que não o voto popular".

Já a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), afirmou que os parlamentares devem "suspender os trabalhos já". Sobre a situação do presidente golpista, a senadora disse “se o Temer não renunciar antes o Ocupa Brasília vai tirá-lo”, em referência à mobilização convocada para a próxima quarta-feira (24) pelas centrais sindicais em Brasília. 

As bancadas do PCdoB, PT, PSOL e PDT já fecharam uma agenda para esta quinta (17), que inclui: às dez da manhã, a ocupação do plenário, e às onze da manhã, reunião da oposição para fechar todas as ações contra Temer (STF, TSE). Também participam das atividades, os parlamentares Julio Delgado (PSB); Arnaldo Farias do Sá (PTB), Carimbão (PHS).

Para o deputado Zé Carlos (PT-MA), este é um fato sem precedentes na história da política brasileira. “Nunca antes aconteceu um fato tão grave envolvendo um presidente. Se ele [Temer] tiver um mínimo de honra, um mínimo de escrúpulo ou consciência, no máximo amanhã de manhã, ele tem que dizer ao povo brasileiro que lamenta o que fez e entregar a presidência para eleições diretas”, disse o parlamentar.

O deputado federal (PSOL) Jean Willys fez um vídeo ao vivo da Câmara afirmando que “o presidente da Câmara Rodrigo Maia teve que encerrar a sessão, e a base do governo saiu correndo desesperada. Ou seja, tudo aquilo que nós diziamos está acontecendo. Dilma não foi deposta pra combater a corrupção, Dilma foi deposta para que esta camarilha de corruptos poupasse seu pescoço, para que essa camarilha de corruptos não fosse condenada"

Para Willys, "a tentativa de criminalizar a esquerda não deu certo, e agora a base do governo está sendo exposta nos seus desvios éticos e morais".

Em vídeo publicado em sua página do Facebook, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB), se pronunciou também sobre o escândalo: "Nós temos que parar de votar matérias no Congresso nacional, temos que parar a agenda absurda deste governo, e o país tem que fazer eleições diretas imediatamente. É muito grave o que ocorreu, o nível de crise vai se aprofundar muito, não se pode votar mais nada no Congresso Nacional. Tudo agora está sob suspeição".

“Este governo está envolvido de lama até o pescoço, e não por uma ilação, é prova, foi gravado!”, concluiu Feghali. 

Reação popular

Segmentos populares e parlamentares da oposição se reúnem neste momento em protesto em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, para pedir a saída imediata de Michel Temer da Presidência da República. Em entrevista ao Brasil de Fato, deputado Paulo Pimenta diz que a oposição pretende parar o Congresso nos próximos dias.

Edição: Vanessa Martina Silva

Clique aqui e leia a notícia original.

Título: Oposição pede renúncia de Temer e movimentos populares querem "Diretas Já", Conteúdo: A oposição reagiu fortemente às denúncias reveladas pelo jornal O Globo sobre ações ilegais de Michel Temer, feitas pelos donos da multinacional brasileira JBS. Manifestações estão sendo feitas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, e no DF pedindo a renúncia imediata de Michel Temer.  É um dia triste para todos nós brasileiros, disse o vereador paulistano Eduardo Suplicy (PT). “Isto é da maior gravidade. Uma vez confirmadas estas denúncias, avalio que não há mais alternativa que Michel Temer renuncie ao seu mandato, e colaborar para que sejam organizadas eleições livres e diretas o quanto antes, avaliou ainda em video publicado em sua página no Facebook. Sobre a especulação  sobre a vericidade da notícia, Suplicy disse: o fato de Temer se trancar no Palácio do Planalto como seus principais auxiliares e o presidente da Câmara dos Deputados, constitui um indício fortíssimo de que a denúncia do jornal O Globo é verdadeira”. O vereador e ex senador ainda se referiu às denúncias que o jornal revelou sobre Aécio Neves, quem teria pedido R$ 2 milhões aos donos da JBS: “E é importantíssimo que se faça a devida apuração também do comportamento do senador Aécio Neves, por que em sendo verdade o comportamento referente a este dinheiro que ele teria recebido, então também convém que ele renuncie ao seu cargo de senador”. Deputados e senadores do Partido dos Trabalhadores se reuniram à noite para organizar a atuação das bancadas. A senadora Gleisi Hoffmann considera que a partir de agora não existem outra opções para além da renúncia de Temer: “Não tem como aceitar a continuidade do Temer diante destes fatos, e não podemos aceitar outra saída que não o voto popular. Já a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), afirmou que os parlamentares devem suspender os trabalhos já. Sobre a situação do presidente golpista, a senadora disse “se o Temer não renunciar antes o Ocupa Brasília vai tirá-lo”, em referência à mobilização convocada para a próxima quarta-feira (24) pelas centrais sindicais em Brasília.  As bancadas do PCdoB, PT, PSOL e PDT já fecharam uma agenda para esta quinta (17), que inclui: às dez da manhã, a ocupação do plenário, e às onze da manhã, reunião da oposição para fechar todas as ações contra Temer (STF, TSE). Também participam das atividades, os parlamentares Julio Delgado (PSB); Arnaldo Farias do Sá (PTB), Carimbão (PHS). Para o deputado Zé Carlos (PT-MA), este é um fato sem precedentes na história da política brasileira. “Nunca antes aconteceu um fato tão grave envolvendo um presidente. Se ele [Temer] tiver um mínimo de honra, um mínimo de escrúpulo ou consciência, no máximo amanhã de manhã, ele tem que dizer ao povo brasileiro que lamenta o que fez e entregar a presidência para eleições diretas”, disse o parlamentar. O deputado federal (PSOL) Jean Willys fez um vídeo ao vivo da Câmara afirmando que “o presidente da Câmara Rodrigo Maia teve que encerrar a sessão, e a base do governo saiu correndo desesperada. Ou seja, tudo aquilo que nós diziamos está acontecendo. Dilma não foi deposta pra combater a corrupção, Dilma foi deposta para que esta camarilha de corruptos poupasse seu pescoço, para que essa camarilha de corruptos não fosse condenada Para Willys, a tentativa de criminalizar a esquerda não deu certo, e agora a base do governo está sendo exposta nos seus desvios éticos e morais. Em vídeo publicado em sua página do Facebook, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB), se pronunciou também sobre o escândalo: Nós temos que parar de votar matérias no Congresso nacional, temos que parar a agenda absurda deste governo, e o país tem que fazer eleições diretas imediatamente. É muito grave o que ocorreu, o nível de crise vai se aprofundar muito, não se pode votar mais nada no Congresso Nacional. Tudo agora está sob suspeição. “Este governo está envolvido de lama até o pescoço, e não por uma ilação, é prova, foi gravado!”, concluiu Feghali.  Reação popular Segmentos populares e parlamentares da oposição se reúnem neste momento em protesto em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, para pedir a saída imediata de Michel Temer da Presidência da República. Em entrevista ao Brasil de Fato, deputado Paulo Pimenta diz que a oposição pretende parar o Congresso nos próximos dias. Edição: Vanessa Martina Silva Clique aqui e leia a notícia original.



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.