Luta das mulheres é tema de encontro no calçadão da Dom Pedro II, em Guarulhos (SP)

Atividade ocorre em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres

Escrito por: Sindicato dos Bancários de Guarulhos • Última modificação: 06/03/2018 - 16:50 • Publicado em: 06/03/2018 - 16:46 Escrito por: Sindicato dos Bancários de Guarulhos Publicado em: 06/03/2018 - 16:46 Última modificação: 06/03/2018 - 16:50

Divulgação

Em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres, comemorado em 8 de março, o Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região reunirá sua diretoria, lideranças políticas e movimentos sociais para discutir a luta das mulheres em defesa da democracia e de seus direitos no Calçadão da Dom Pedro II, no centro de Guarulhos, nesta quarta-feira, dia 7, a partir das 11h. 

“As mulheres são sempre as mais prejudicadas pelas propostas do governo ilegítimo de Michel Temer. Com a Reforma Trabalhista, em vigor desde novembro, tivemos grandes perdas e alterações que atacam diretamente mulheres gestantes e lactantes, mas também tivemos mudanças que prejudicam quem está em pior posição no mercado de trabalho, ou seja, as mulheres”, explica a diretora do Sindicato, Silvana Kaproski. 

Mulheres ocupam poucos cargos de comando, ganham menos e lideram o ranking de desemprego. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), em 2018 13,4% das mulheres brasileiras estavam desempregadas, contra 10% dos homens.

No dia 8 de março, o encontro organizado pela Central Única dos Trabalhadores  (CUT) acontece na Avenida Paulista, a partir das 16h. 

Violência contra a mulher 

A cada dois segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal no Brasil, de acordo com a última edição do Mapa da Violência (2015). Número que não para de crescer são os das mulheres assassinadas, são 13 por dia e cerca de 30% são vítimas de seus cônjuges, ex-cônjuges ou “admiradores” que não admitiram uma rejeição. 

Outro dado que preocupa e choca é o índice de estupros. Dados do 11º Anuário Brasileiro de Segurança, divulgado ano passado, mostram que em 2016 foram 135 estupros e 12 assassinatos por dia. Ao todo 5.190 mulheres morreram no Brasil, uma a cada duas horas, e somente 533 casos foram classificados como feminicídio. 

Em Guarulhos os números também assustam. Uma a cada 100 mulheres passaram por algum tipo de violência na cidade, e este é apenas o número das mulheres que tiveram coragem de denunciar seus agressores, de acordo com levantamento realizado nos primeiros sete meses de 2017. 

Palestra 

Ainda em comemoração ao mês das mulheres, o Sindicato realizará uma palestra com a presença da secretária nacional de Mulheres da CUT, Junéia Martins Barbosa, no dia 22 de março, para discutir a luta das mulheres em defesa da democracia e dos direitos. 

Serviço

Luta das Mulheres em Defesa da Democracia e dos Direitos

Com Junéia Martins Barbosa, secretária nacional de mulheres da CUT

Dia 22 de março

A partir das 18h30

Rua Paulo Lenk, 128 – Jardim Zaíra – Guarulhos (SP)

Título: Luta das mulheres é tema de encontro no calçadão da Dom Pedro II, em Guarulhos (SP), Conteúdo: Em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres, comemorado em 8 de março, o Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região reunirá sua diretoria, lideranças políticas e movimentos sociais para discutir a luta das mulheres em defesa da democracia e de seus direitos no Calçadão da Dom Pedro II, no centro de Guarulhos, nesta quarta-feira, dia 7, a partir das 11h.  “As mulheres são sempre as mais prejudicadas pelas propostas do governo ilegítimo de Michel Temer. Com a Reforma Trabalhista, em vigor desde novembro, tivemos grandes perdas e alterações que atacam diretamente mulheres gestantes e lactantes, mas também tivemos mudanças que prejudicam quem está em pior posição no mercado de trabalho, ou seja, as mulheres”, explica a diretora do Sindicato, Silvana Kaproski.  Mulheres ocupam poucos cargos de comando, ganham menos e lideram o ranking de desemprego. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), em 2018 13,4% das mulheres brasileiras estavam desempregadas, contra 10% dos homens. No dia 8 de março, o encontro organizado pela Central Única dos Trabalhadores  (CUT) acontece na Avenida Paulista, a partir das 16h.  Violência contra a mulher  A cada dois segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal no Brasil, de acordo com a última edição do Mapa da Violência (2015). Número que não para de crescer são os das mulheres assassinadas, são 13 por dia e cerca de 30% são vítimas de seus cônjuges, ex-cônjuges ou “admiradores” que não admitiram uma rejeição.  Outro dado que preocupa e choca é o índice de estupros. Dados do 11º Anuário Brasileiro de Segurança, divulgado ano passado, mostram que em 2016 foram 135 estupros e 12 assassinatos por dia. Ao todo 5.190 mulheres morreram no Brasil, uma a cada duas horas, e somente 533 casos foram classificados como feminicídio.  Em Guarulhos os números também assustam. Uma a cada 100 mulheres passaram por algum tipo de violência na cidade, e este é apenas o número das mulheres que tiveram coragem de denunciar seus agressores, de acordo com levantamento realizado nos primeiros sete meses de 2017.  Palestra  Ainda em comemoração ao mês das mulheres, o Sindicato realizará uma palestra com a presença da secretária nacional de Mulheres da CUT, Junéia Martins Barbosa, no dia 22 de março, para discutir a luta das mulheres em defesa da democracia e dos direitos.  Serviço Luta das Mulheres em Defesa da Democracia e dos Direitos Com Junéia Martins Barbosa, secretária nacional de mulheres da CUT Dia 22 de março A partir das 18h30 Rua Paulo Lenk, 128 – Jardim Zaíra – Guarulhos (SP)



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.