Estado de greve: Trabalhadores dos turnos iniciam vigília controlada na Replan

Devido ao corte da empresa, os petroleiros iniciam uma greve de 48 horas na sexta (23)

Escrito por: Alessandra Campos - Sindipetro Unificado-SP • Publicado em: 21/06/2017 - 13:14 Escrito por: Alessandra Campos - Sindipetro Unificado-SP Publicado em: 21/06/2017 - 13:14

Sindipetro Unificado-SP

Trabalhadores do turno da Replan, em Paulínia, iniciaram na tarde de segunda-feira (19) vigília controlada – procedimento organizado para que os trabalhadores possam usar o “Direito de Recusa”. A medida foi tomada depois que a refinaria efetivou a redução de nove postos de trabalho no turno das 15h30, de forma arbitrária, agravando ainda mais a situação de insegurança nas unidades do Sistema Petrobrás.

Na vigília controlada, os trabalhadores realizam a passagem do turno e o grupo que inicia a jornada opera a refinaria normalmente. Como não há trabalhadores suficientes para render o grupo inteiro, a outra equipe permanece dentro da unidade para garantir o efetivo mínimo atual. “É uma ação necessária para assegurar que nenhum setor da refinaria fique desfalcado, devido aos cortes”, afirma o diretor do Sindicato, Arthur Bob Ragusa.

Segundo ele, a vigília só será interrompida depois que a empresa aceitar as condições estabelecidas no ofício, que a direção sindical enviou na tarde de ontem ao gerente geral da refinaria. O documento propõe um calendário para a apresentação da metodologia do estudo de reestruturação do efetivo mínimo, elaborado pela Petrobrás.

“Entendemos que a concordância com nosso ofício significa restabelecer o efetivo. Para suspendermos a vigília, a empresa tem que voltar com o número mínimo anterior”, avisa o dirigente.

A vigília controlada possibilita ao trabalhador o uso do “Direito de Recusa”. Estabelecido na cláusula 135 do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da categoria, esse item permite suspender a realização de determinada atividade nos termos propostos pela empresa, caso o empregado verifique a existência da condição de risco grave e iminente no local de trabalho.

Greve

Devido ao corte no efetivo mínimo da Replan, os petroleiros da base do Unificado iniciam uma greve de 48 horas na madrugada desta sexta-feira (23). A mobilização foi aprovada pelos trabalhadores, em assembleias realizadas nas unidades do Sindicato, entre os dias 4 e 18 de abril, caso as mudanças de efetivo fossem implementadas.

Título: Estado de greve: Trabalhadores dos turnos iniciam vigília controlada na Replan, Conteúdo: Trabalhadores do turno da Replan, em Paulínia, iniciaram na tarde de segunda-feira (19) vigília controlada – procedimento organizado para que os trabalhadores possam usar o “Direito de Recusa”. A medida foi tomada depois que a refinaria efetivou a redução de nove postos de trabalho no turno das 15h30, de forma arbitrária, agravando ainda mais a situação de insegurança nas unidades do Sistema Petrobrás. Na vigília controlada, os trabalhadores realizam a passagem do turno e o grupo que inicia a jornada opera a refinaria normalmente. Como não há trabalhadores suficientes para render o grupo inteiro, a outra equipe permanece dentro da unidade para garantir o efetivo mínimo atual. “É uma ação necessária para assegurar que nenhum setor da refinaria fique desfalcado, devido aos cortes”, afirma o diretor do Sindicato, Arthur Bob Ragusa. Segundo ele, a vigília só será interrompida depois que a empresa aceitar as condições estabelecidas no ofício, que a direção sindical enviou na tarde de ontem ao gerente geral da refinaria. O documento propõe um calendário para a apresentação da metodologia do estudo de reestruturação do efetivo mínimo, elaborado pela Petrobrás. “Entendemos que a concordância com nosso ofício significa restabelecer o efetivo. Para suspendermos a vigília, a empresa tem que voltar com o número mínimo anterior”, avisa o dirigente. A vigília controlada possibilita ao trabalhador o uso do “Direito de Recusa”. Estabelecido na cláusula 135 do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da categoria, esse item permite suspender a realização de determinada atividade nos termos propostos pela empresa, caso o empregado verifique a existência da condição de risco grave e iminente no local de trabalho. Greve Devido ao corte no efetivo mínimo da Replan, os petroleiros da base do Unificado iniciam uma greve de 48 horas na madrugada desta sexta-feira (23). A mobilização foi aprovada pelos trabalhadores, em assembleias realizadas nas unidades do Sindicato, entre os dias 4 e 18 de abril, caso as mudanças de efetivo fossem implementadas.



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.