Energéticos participam de eleições sindicais em todo o estado de SP

Cerca de 11 mil trabalhadores votam em duas eleições paralelas e simultâneas para renovação das direções do Sinergia CUT e do Stieec

Escrito por: Lílian Parise - Sinergia CUT • Publicado em: 21/03/2017 - 06:00 Escrito por: Lílian Parise - Sinergia CUT Publicado em: 21/03/2017 - 06:00

Na segunda (20) e terça (21) desta semana, trabalhadores das mais de 70 empresas energéticas paulistas participam de duas eleições paralelas e simultâneas para a renovação das direções do Sindicato dos Eletricitários de Campinas (Stieec) e do Sinergia CUT. O Colégio Eleitoral é formado por cerca de 11 mil trabalhadores da ativa e aposentados, filiados às entidades há seis meses, no mínimo, e em dia com as mensalidades.

Nos dois dias de eleição a votação acontece das 7h às 17h30, através de 55 urnas fixas e itinerantes que percorrerão a capital e várias cidades do interior e litoral espalhadas pelas dez macrorregiões dos Sindicatos: Baixada Santista (Sintius), Bauru, Campinas, Ilha Solteira, Presidente Prudente, Ribeirão Preto (Sertãozinho), Rio Claro, São José do Rio Preto (Votuporanga), São Paulo e Vale do Paraíba. A apuração dos votos acontecerá na próxima quarta-feira (22), a partir das 14h, e será centralizada em Campinas, na sede do Sindicato dos Petroleiros.

Chapas da CUT
Sem oposição, as eleições envolvem apenas as chapas de situação apoiadas pela CUT para mandatos de três anos. A direção colegiada do Stieec é formada por 70 trabalhadores e propõe para a presidência a reeleição de Carlos Alberto Alves, operador de usina da AES Tietê, tendo Valdivino Ferreira dos Anjos, técnico administrativo da Cteep, como vice.

“Os últimos anos foram difíceis, mas, com organização e mobilização na base, conseguimos manter salários e benefícios. Agora, com esse governo ilegítimo desmontando direitos, ao mesmo tempo em que as empresas do setor mudam de comando ou estão na mira da privatização, vamos precisar de muita unidade na luta e energia revigorada para resistir”, destaca Alves.

Já a chapa do Sinergia CUT, formada por 113 trabalhadores, é encabeçada novamente por Edmar Feliciano, operador de distribuição sênior da Energisa-Caiuá, tendo Deise Capelozza, técnica administrativa da Comgás, como vice.

“Ousadia, renovação, transparência, compromisso, combatividade e resistência fazem do Sinergia CUT, mais do que referência de liberdade e autonomia sindical, uma entidade de vanguarda. E vivemos atualmente um momento de grandes e fortes ataques aos direitos da classe trabalhadora. Mais do que nunca, resistir é preciso”, alerta Feliciano.

Ano histórico
Com o nome de “Resistência e Ousadia”, as chapas das duas entidades participam das eleições em um ano que lembra momentos históricos para as lutas e conquistas da categoria. Em 2017, o Stieec completa 30 anos da retomada do Sindicato pela Chapa da CUT, de oposição aos pelegos de cartório em 1987, quando a entidade começa a escrever uma nova história a partir da organização dos eletricitários de todo o interior de SP.

É também em 2017 que o Sinergia CUT comemora 20 anos de construção de uma nova forma de organização, reunindo eletricitários e gasistas em uma entidade criada em novembro de 1997, tendo como princípios a liberdade e autonomia sindical. Atualmente fazem parte do Sinergia CUT, além do Sindgasista e do Stieec, o SindPrudente, o SindLitoral, o SindBauru, o Sindluz Araraquara e o Sindergel Mococa. São sete sindicatos em um.
 

Título: Energéticos participam de eleições sindicais em todo o estado de SP, Conteúdo: Na segunda (20) e terça (21) desta semana, trabalhadores das mais de 70 empresas energéticas paulistas participam de duas eleições paralelas e simultâneas para a renovação das direções do Sindicato dos Eletricitários de Campinas (Stieec) e do Sinergia CUT. O Colégio Eleitoral é formado por cerca de 11 mil trabalhadores da ativa e aposentados, filiados às entidades há seis meses, no mínimo, e em dia com as mensalidades. Nos dois dias de eleição a votação acontece das 7h às 17h30, através de 55 urnas fixas e itinerantes que percorrerão a capital e várias cidades do interior e litoral espalhadas pelas dez macrorregiões dos Sindicatos: Baixada Santista (Sintius), Bauru, Campinas, Ilha Solteira, Presidente Prudente, Ribeirão Preto (Sertãozinho), Rio Claro, São José do Rio Preto (Votuporanga), São Paulo e Vale do Paraíba. A apuração dos votos acontecerá na próxima quarta-feira (22), a partir das 14h, e será centralizada em Campinas, na sede do Sindicato dos Petroleiros. Chapas da CUT Sem oposição, as eleições envolvem apenas as chapas de situação apoiadas pela CUT para mandatos de três anos. A direção colegiada do Stieec é formada por 70 trabalhadores e propõe para a presidência a reeleição de Carlos Alberto Alves, operador de usina da AES Tietê, tendo Valdivino Ferreira dos Anjos, técnico administrativo da Cteep, como vice. “Os últimos anos foram difíceis, mas, com organização e mobilização na base, conseguimos manter salários e benefícios. Agora, com esse governo ilegítimo desmontando direitos, ao mesmo tempo em que as empresas do setor mudam de comando ou estão na mira da privatização, vamos precisar de muita unidade na luta e energia revigorada para resistir”, destaca Alves. Já a chapa do Sinergia CUT, formada por 113 trabalhadores, é encabeçada novamente por Edmar Feliciano, operador de distribuição sênior da Energisa-Caiuá, tendo Deise Capelozza, técnica administrativa da Comgás, como vice. “Ousadia, renovação, transparência, compromisso, combatividade e resistência fazem do Sinergia CUT, mais do que referência de liberdade e autonomia sindical, uma entidade de vanguarda. E vivemos atualmente um momento de grandes e fortes ataques aos direitos da classe trabalhadora. Mais do que nunca, resistir é preciso”, alerta Feliciano. Ano histórico Com o nome de “Resistência e Ousadia”, as chapas das duas entidades participam das eleições em um ano que lembra momentos históricos para as lutas e conquistas da categoria. Em 2017, o Stieec completa 30 anos da retomada do Sindicato pela Chapa da CUT, de oposição aos pelegos de cartório em 1987, quando a entidade começa a escrever uma nova história a partir da organização dos eletricitários de todo o interior de SP. É também em 2017 que o Sinergia CUT comemora 20 anos de construção de uma nova forma de organização, reunindo eletricitários e gasistas em uma entidade criada em novembro de 1997, tendo como princípios a liberdade e autonomia sindical. Atualmente fazem parte do Sinergia CUT, além do Sindgasista e do Stieec, o SindPrudente, o SindLitoral, o SindBauru, o Sindluz Araraquara e o Sindergel Mococa. São sete sindicatos em um.  



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.