Empresa do Programa Nuclear da Marinha decreta estado de greve

Situação na Amazul é reflexo dos cortes de Temer nas áreas de pesquisa e desenvolvimento

Escrito por: Sindicato dos Trabalhadores em Pesquisa, Ciência e Tecnologia • Publicado em: 05/02/2018 - 16:03 Escrito por: Sindicato dos Trabalhadores em Pesquisa, Ciência e Tecnologia Publicado em: 05/02/2018 - 16:03

Ricardo Andrade/SINTPq Assembleia em São Paulo aprova estado de greve

Em assembleias nos dias 30 e 31 de janeiro, realizadas nas unidades de São Paulo e Iperó-SP, os profissionais da Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. – Amazul, empresa integrante do projeto de desenvolvimento do submarino brasileiro a propulsão nuclear, rejeitaram a proposta imposta pelo Ministério do Planejamento - MP para o Acordo Coletivo de Trabalho e decretaram estado de greve. 

O resultado das assembleias foi reflexo da indignação dos funcionários e funcionárias, que não toleraram a proposta de 0% de reajuste e retirada de benefícios elaborada pelo MP. 

Ao aprovarem esse encaminhamento, os funcionários definiram um prazo para a Amazul obter outra contraproposta junto aos órgãos governamentais. A direção da empresa terá até o primeiro dia útil de março para apresentar novas condições para a campanha salarial 2018. 

Caso nenhuma proposta digna de apreciação em assembleia seja apresentada no período determinado, os trabalhadores e trabalhadoras da Amazul poderão paralisar suas atividades por tempo indeterminado.

No próximo período, o Sindicato dos Trabalhadores em Pesquisa, Ciência e Tecnologia – SINTPq e os funcionários farão mobilizações unificadas, buscando conscientizar os colegas de trabalho sobre a importância da luta conjunta e preparando o ambiente da empresa para a greve.

Na visão do presidente do SINTPq, Régis Norberto Carvalho, a situação vivenciada na Amazul é reflexo dos cortes impostos pelo governo de Michel Temer nas áreas de pesquisa e desenvolvimento.

“Em 2017, o orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC sofreu redução de 44%. Agora, até mesmo o projeto de construção do submarino nuclear brasileiro, fundamental para a soberania nacional, está ameaçado”, enfatiza o presidente.

Sobre a Amazul

A Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. – Amazul foi constituída em 2013 com o objetivo de promover, desenvolver, transferir e manter tecnologias sensíveis às atividades do Programa Nuclear da Marinha (PNM), do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e do Programa Nuclear Brasileiro (PNB). Seu objetivo primordial é apoiar o desenvolvimento do submarino de propulsão nuclear, além de contribuir com pesquisas em radiofármacos.

O que é estado de greve?

O estado de greve é uma situação aprovada pelos trabalhadores, alertando ao governo ou empresas privadas que a qualquer momento poderão deflagrar uma greve. Esta decisão não é definitiva, podendo ser alterada conforme a conjuntura que se apresenta para o momento.

Título: Empresa do Programa Nuclear da Marinha decreta estado de greve, Conteúdo: Em assembleias nos dias 30 e 31 de janeiro, realizadas nas unidades de São Paulo e Iperó-SP, os profissionais da Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. – Amazul, empresa integrante do projeto de desenvolvimento do submarino brasileiro a propulsão nuclear, rejeitaram a proposta imposta pelo Ministério do Planejamento - MP para o Acordo Coletivo de Trabalho e decretaram estado de greve.  O resultado das assembleias foi reflexo da indignação dos funcionários e funcionárias, que não toleraram a proposta de 0% de reajuste e retirada de benefícios elaborada pelo MP.  Ao aprovarem esse encaminhamento, os funcionários definiram um prazo para a Amazul obter outra contraproposta junto aos órgãos governamentais. A direção da empresa terá até o primeiro dia útil de março para apresentar novas condições para a campanha salarial 2018.  Caso nenhuma proposta digna de apreciação em assembleia seja apresentada no período determinado, os trabalhadores e trabalhadoras da Amazul poderão paralisar suas atividades por tempo indeterminado. No próximo período, o Sindicato dos Trabalhadores em Pesquisa, Ciência e Tecnologia – SINTPq e os funcionários farão mobilizações unificadas, buscando conscientizar os colegas de trabalho sobre a importância da luta conjunta e preparando o ambiente da empresa para a greve. Na visão do presidente do SINTPq, Régis Norberto Carvalho, a situação vivenciada na Amazul é reflexo dos cortes impostos pelo governo de Michel Temer nas áreas de pesquisa e desenvolvimento. “Em 2017, o orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC sofreu redução de 44%. Agora, até mesmo o projeto de construção do submarino nuclear brasileiro, fundamental para a soberania nacional, está ameaçado”, enfatiza o presidente. Sobre a Amazul A Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. – Amazul foi constituída em 2013 com o objetivo de promover, desenvolver, transferir e manter tecnologias sensíveis às atividades do Programa Nuclear da Marinha (PNM), do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e do Programa Nuclear Brasileiro (PNB). Seu objetivo primordial é apoiar o desenvolvimento do submarino de propulsão nuclear, além de contribuir com pesquisas em radiofármacos. O que é estado de greve? O estado de greve é uma situação aprovada pelos trabalhadores, alertando ao governo ou empresas privadas que a qualquer momento poderão deflagrar uma greve. Esta decisão não é definitiva, podendo ser alterada conforme a conjuntura que se apresenta para o momento.



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.