CUT-SP convoca trabalhadores para ato na Av. Paulista no dia 5

Sinalização de greve fez governo recuar, mas sindicatos devem permanecer em estado de alerta

Escrito por: Redação CUT-SP • Última modificação: 01/12/2017 - 17:15 • Publicado em: 01/12/2017 - 16:25 Escrito por: Redação CUT-SP Publicado em: 01/12/2017 - 16:25 Última modificação: 01/12/2017 - 17:15

Divulgação

Com a notícia de que o governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) não possui apoio necessário para aprovar a Reforma da Previdência no Congresso, fazendo-o recuar da votação, a Greve Nacional convocada pelas centrais sindicais foi adiada.

O recuo temporário do governo, anunciado pelo presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM), indica que a pressão da sociedade tem surtido efeito. Mas como desde o início a CUT sinaliza Greve no caso da votação entrar na pauta do Congresso, o estado de alerta deve ser mantido.

Várias categorias se mobilizaram para o 5, próxima terça-feira. Dessa forma, a CUT-SP orienta para que os trabalhadores de sua base participem dos atos, como o que vai ocorrer na Av. Paulista, e nas demais cidades do estado.

O ato na Av. Paulista, organizado pela CUT e as organizações que compõem as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, terá início às 16h e será mais uma oportunidade de dizer aos golpistas que a população não aceita a retirada de direitos. Nas demais cidades de São Paulo, os atos também estão mantidos.

Outra ferramenta de mobilização que deve ser fortalecida é o site Na Pressão. Nele, os trabalhadores podem encaminhar mensagens aos parlamentares cobrando posicionamento contrário à reforma da Previdência. Temer precisa de 308 votos para passar o projeto e a intenção é votar a PEC 287 em dois turnos: a primeira no dia 12 e a última até o dia 20 de dezembro.

Se colocar para votar, o Brasil vai parar!

Confira abaixo a mensagem do presidente da #CUTsp, Douglas Izzo.

Título: CUT-SP convoca trabalhadores para ato na Av. Paulista no dia 5, Conteúdo: Com a notícia de que o governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) não possui apoio necessário para aprovar a Reforma da Previdência no Congresso, fazendo-o recuar da votação, a Greve Nacional convocada pelas centrais sindicais foi adiada. O recuo temporário do governo, anunciado pelo presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM), indica que a pressão da sociedade tem surtido efeito. Mas como desde o início a CUT sinaliza Greve no caso da votação entrar na pauta do Congresso, o estado de alerta deve ser mantido. Várias categorias se mobilizaram para o 5, próxima terça-feira. Dessa forma, a CUT-SP orienta para que os trabalhadores de sua base participem dos atos, como o que vai ocorrer na Av. Paulista, e nas demais cidades do estado. O ato na Av. Paulista, organizado pela CUT e as organizações que compõem as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, terá início às 16h e será mais uma oportunidade de dizer aos golpistas que a população não aceita a retirada de direitos. Nas demais cidades de São Paulo, os atos também estão mantidos. Outra ferramenta de mobilização que deve ser fortalecida é o site Na Pressão. Nele, os trabalhadores podem encaminhar mensagens aos parlamentares cobrando posicionamento contrário à reforma da Previdência. Temer precisa de 308 votos para passar o projeto e a intenção é votar a PEC 287 em dois turnos: a primeira no dia 12 e a última até o dia 20 de dezembro. Se colocar para votar, o Brasil vai parar! Confira abaixo a mensagem do presidente da #CUTsp, Douglas Izzo.



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.