CUT organiza esquenta das paralisações em SP rumo ao dia 15

Cerca de 300 mil encartes cutistas contra a reforma da Previdência serão distribuídos no jornal Destak

Escrito por: Redação - CUT São Paulo • Publicado em: 10/03/2017 - 16:28 Escrito por: Redação - CUT São Paulo Publicado em: 10/03/2017 - 16:28
 
 
A CUT organiza ações no estado de São Paulo em preparação ao Dia Nacional de Paralisação e Mobilização, em 15 de março. Na capital, os trabalhadores cruzarão os braços e organizarão um ato no vão livre do Masp, na Avenida Paulista, a partir das 16h. 
 
Na segunda-feira (13), a central fará o Dia Estadual de Panfletagem, com ações organizadas nas 20 subsedes de São Paulo e em vários pontos da capital. Serão distribuídos jornais informando a população sobre o que representa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que trata sobre a reforma da Previdência. 

A medida proposta pelo governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) pretende igualar a idade mínima de 65 anos entre homens e mulheres e estabelece 49 anos de contribuição ininterrupta para o recebimento da aposentadoria integral.

 
No mesmo dia, na Praça do Patriarca, no centro de São Paulo, das 12h às 14h, computadores estarão disponíveis no local para que a população possa calcular a idade de aposentadoria, de acordo com as regras propostas na reforma de Temer. O cálculo será feito por meio do Aposentômetro, criado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) em parceria com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).
 
Na terça-feira, dia 14, véspera do Dia Nacional de Paralisação, também serão distribuídos cerca de 300 mil encartes da CUT no Jornal Destak contra a reforma da Previdência. De distribuição gratuita, o impresso é entregue em bancas de jornal, estacionamentos, nas principais universidades e em mais de 300 pontos fixos.
 
 
 
 
Título: CUT organiza esquenta das paralisações em SP rumo ao dia 15, Conteúdo:     A CUT organiza ações no estado de São Paulo em preparação ao Dia Nacional de Paralisação e Mobilização, em 15 de março. Na capital, os trabalhadores cruzarão os braços e organizarão um ato no vão livre do Masp, na Avenida Paulista, a partir das 16h.    Na segunda-feira (13), a central fará o Dia Estadual de Panfletagem, com ações organizadas nas 20 subsedes de São Paulo e em vários pontos da capital. Serão distribuídos jornais informando a população sobre o que representa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que trata sobre a reforma da Previdência.  A medida proposta pelo governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) pretende igualar a idade mínima de 65 anos entre homens e mulheres e estabelece 49 anos de contribuição ininterrupta para o recebimento da aposentadoria integral.   No mesmo dia, na Praça do Patriarca, no centro de São Paulo, das 12h às 14h, computadores estarão disponíveis no local para que a população possa calcular a idade de aposentadoria, de acordo com as regras propostas na reforma de Temer. O cálculo será feito por meio do Aposentômetro, criado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) em parceria com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).   Na terça-feira, dia 14, véspera do Dia Nacional de Paralisação, também serão distribuídos cerca de 300 mil encartes da CUT no Jornal Destak contra a reforma da Previdência. De distribuição gratuita, o impresso é entregue em bancas de jornal, estacionamentos, nas principais universidades e em mais de 300 pontos fixos.        



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.