Avenida Paulista terá ato dia 19 em defesa da aposentadoria

Movimentos irão às ruas para barrar reforma da Previdência

Escrito por: Vanessa Ramos - CUT São Paulo • Última modificação: 15/02/2018 - 16:50 • Publicado em: 09/02/2018 - 19:19 Escrito por: Vanessa Ramos - CUT São Paulo Publicado em: 09/02/2018 - 19:19 Última modificação: 15/02/2018 - 16:50

Divulgação

A CUT, sindicatos, federações, confederações e movimentos sociais ligados às frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizarão ato em São Paulo, no dia 19, contra a reforma da Previdência.

A concentração será a partir das 16h, no vão livre do Museu de Artes de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, no mesmo dia em que várias categorias farão greve no Brasil.

As paralisações compõem o Dia Nacional de Luta Contra a Reforma da Previdência. No estado de São Paulo, diferentes categorias já realizaram assembleias nos locais de trabalho e decidiram cruzar os braços, como explica o presidente da CUT São Paulo, Douglas Izzo.

“Lutaremos até o fim contra a retirada de direitos e a greve é nosso importante instrumento de combate. Toda a ofensiva do governo golpista em veicular propagandas favoráveis à reforma não engana mais o povo brasileiro, que sabe o que representa o fim da aposentadoria”, diz.

Pela coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Natália Szermeta lembra que os setores que promovem a reforma e a retirada de direitos querem que o povo pague a conta.

"É necessário resistir aos ataques deste governo. A reforma da Previdência ataca direitos básicos dos trabalhadores, acaba com a aposentadoria. Nós não permitiremos que este Congresso corrupto jogue o pato em nossas costas. Vai ter luta. Resistiremos!", alerta.

Clique aqui e confirme presença no ato.
 

Título: Avenida Paulista terá ato dia 19 em defesa da aposentadoria, Conteúdo: A CUT, sindicatos, federações, confederações e movimentos sociais ligados às frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizarão ato em São Paulo, no dia 19, contra a reforma da Previdência. A concentração será a partir das 16h, no vão livre do Museu de Artes de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, no mesmo dia em que várias categorias farão greve no Brasil. As paralisações compõem o Dia Nacional de Luta Contra a Reforma da Previdência. No estado de São Paulo, diferentes categorias já realizaram assembleias nos locais de trabalho e decidiram cruzar os braços, como explica o presidente da CUT São Paulo, Douglas Izzo. “Lutaremos até o fim contra a retirada de direitos e a greve é nosso importante instrumento de combate. Toda a ofensiva do governo golpista em veicular propagandas favoráveis à reforma não engana mais o povo brasileiro, que sabe o que representa o fim da aposentadoria”, diz. Pela coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Natália Szermeta lembra que os setores que promovem a reforma e a retirada de direitos querem que o povo pague a conta. É necessário resistir aos ataques deste governo. A reforma da Previdência ataca direitos básicos dos trabalhadores, acaba com a aposentadoria. Nós não permitiremos que este Congresso corrupto jogue o pato em nossas costas. Vai ter luta. Resistiremos!, alerta. Clique aqui e confirme presença no ato.