Dia 20 de novembro – Luta e resistência do povo negro

17/11/2017 - 00:00

Somos a razão da luta dos ancestrais. Resistência Sempre!

Estamos atravessando um triste período da história brasileira, desde o golpe instaurado em 2016 que assola o país com o desmonte das políticas públicas, com a eliminação dos direitos trabalhistas e sociais causando sérias consequências para a população pobre e para a classe trabalhadora que, com a reforma Trabalhista, verão ruir todas as grandes conquistas que estavam asseguradas em lei.

E a realidade do povo negro neste cenário de terra arrasada? São as principais vítimas da destruição de direitos, da volta ao trabalho escravo, do desemprego, da intolerância religiosa, do racismo estruturante da sociedade que vem disseminando o ódio, o preconceito, a violência e o genocídio da população negra, sobretudo da juventude negra.

Nesse contexto, a reforma trabalhista vai destruir de vez os direitos. Os trabalhadores e trabalhadoras negras apesar de representarem a maioria no Brasil, são os que menos ganham e, certamente, serão os mais prejudicados. As mulheres, então, são as que recebem menores salários.

O IBGE mostra que enquanto os brancos ganham numa faixa de R$ 2.646, a classe trabalhadora negra recebe R$1.494, o que demonstra a enorme disparidade.

Para combater tudo isso, a juventude negra também terá muita luta pela frente para resistir a toda esta avalanche de retrocessos. Isso sem falar da batalha que já enfrentam para além do mundo do trabalho com a violência. Isso pode ser visto nos dados do estudo de 2017 do Atlas da Violência que mostra que a juventude negra e de baixa renda continua sendo a principal vítima dos casos de homicídio.

São tempos difíceis que exige da militância CUTista e trabalhadora muito mais garra e coragem para encarar de frente os desafios que estão colocados em todos os espaços. Por isso, reafirmamos a nossa disposição de luta, em memória aos nossos ancestrais que resistiram bravamente. Resistência sempre!