CUT-SP e sindicatos farão ato dia 14 contra Reforma Trabalhista e privatização

13/09/2017 - 13:19

Mobilização também terá como pauta a defesa das estatais

A CUT São Paulo e sindicatos realizam nesta quinta-feira (14), na Praça Ramos de Azevedo, em frente ao Teatro Municipal, a partir das 9h, um ato pela anulação da reforma Trabalhista, contra a retirada de direitos, em defesa das empresas públicas e contra a privatização da cidade de São Paulo.  

A atividade faz parte do “Dia Nacional de Lutas”, agenda tirada durante a 15ª Plenária Congresso Extraordinário da CUT Nacional, realizada em agosto, e também do calendário do movimento “Brasil Metalúrgico” contra a terceirização ilimitada e as reformas Trabalhista e da Previdência.

Depois do ato, as entidades seguem em caminhada até a Superintendência do Ministério do Trabalho, na Rua Martins Fontes, 109, também na região central.

Ao longo do dia, diversas categorias, dentre as quais bancários, metalúrgicos, petroleiros, trabalhadores dos Correios, do vestuário, metroviários, eletricitários, gasistas e servidores municipais e estaduais, também distribuirão materiais em defesa das empresas públicas, contra as privatizações.

O movimento sindical fará ainda coletas de assinatura para o Projeto de Lei de Iniciativa Popular para revogar a Reforma Trabalhista, iniciativa da CUT que tem como meta arrecadar mais de 1,3 milhão de apoiadores.

A campanha “SP não está à venda”, que vem sendo trabalhada por movimentos populares, sindicatos e centrais sindicais, também estará nas ruas, buscando assinaturas e conversando com a população sobre os ataques da administração do prefeito João Doria, do PSDB, que anunciou a privatização de programas e áreas públicas da cidade.

Em Bauru, Campinas, São Carlos e Sorocaba trabalhadores de diversos ramos farão assembleias, paralisações e/ou coletas de assinaturas contra a Reforma Trabalhista.