Presidente do INSS é demitido após firmar contrato suspeito

16/05/2018 - 17:18

Francisco Lopes teria contratado uma empresa de informática sem a aprovação de um parecer

Francisco Lopes, presidente do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), foi demitido nesta quarta-feira (16), pelo Ministério do Desenvolvimento Social, órgão ao qual o instituto é subordinado, após veiculação de uma reportagem no jornal “O Globo” sobre contratação de uma empresa para fornecimento de programas para computador sem o parecer de aprovação da área técnica do INSS.

Segundo informações do jornal, o INSS firmou um contrato de R$ 8,8 milhões com a empresa RSX Informática, mesmo após análise da equipe técnica informar que os serviços contratados não terão utilidades para o instituto e que poderá haver desperdícios de dinheiro público nesta compra.

Ainda segundo dados do Globo, Francisco Lopes teria admitido que autorizou o gasto inicial de R$ 4 milhões sem verificar se a RSX tinha procedência no mercado e sem a obtenção de serviços em troca.

O INSS emitiu uma nota dizendo que o contrato com a RSX foi cancelado a pedido do próprio presidente e que uma diligência foi aberta para que todos os fatos sejam esclarecidos.

Já a empresa contratada negou, por meio de nota, ter envolvimento com irregularidades e que nos últimos anos prestou serviços para outros órgãos públicos e que está à disposição para eventuais esclarecimentos.

De acordo com O Globo, o contrato foi feito por meio de ata de preços, no qual fica suspensa a obrigatoriedade de realização de licitação pelo governo. Ainda de acordo com o jornal, o presidente do INSS “determinou que a empresa fosse remunerada para construir um programa capaz de fazer varreduras no sistema do órgão e identificar vulnerabilidades de segurança”.

A área técnica do INSS verificou o tipo de programa de computador e o volume de recursos envolvidos e elaborou um relatório para alertar Francisco Lopes sobre a compra e que não haveria necessidade de tal investimento.

A demissão do presidente do INSS será formalizada e publicada no "Diário Oficial da União".