Mulher Trabalhadora

Foto: Dino SantosFoto: Dino SantosMárcia Regina Gonçalves Viana

Casada e mãe de dois filhos, se divide entre a militância e a vida familiar. Para ajudar sua família, a dirigente começou a trabalhar aos 15 anos no setor de confecção. 

Em 1989 foi convidada para participar da direção do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Vestuário de Sorocaba e Região, onde exerceu a presidência por quatro mandatos, de 1998 até 2014. Atualmente atua como Secretária-Geral desta entidade.

Assumiu, em 2009, a Secretaria de Relações Internacionais da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Vestuário (CNTRV-CUT). E, em 2013, a Secretaria de Comunicação da confederação, tendo sido reconduzida ao cargo no 10º Congresso do Ramo para o quadriênio de 2015-2019.

Aos 48 anos, é formada em Gestão Pública pela Universidade Metodista de São Paulo (Umesp) e pós-graduada em Gestão de Políticas Públicas pela Fundação Perseu Abramo.

Foi eleita para compor a direção da CUT São Paulo, em agosto de 2015 e, a partir de 28 agosto de 2017, assume a Secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT-SP. 

Márcia acredita que neste momento histórico de retrocessos, as mulheres sofrerão as piores consequências. Dessa forma, dará continuidade ao trabalho que tem sido desenvolvido pela Pasta e intensificará a luta contra a retirada de direitos; pelo fim de todas as formas de preconceito e discriminação, na vida e no trabalho; pelo fim da violência contra as mulheres; e por tantas outras lutas que constam no plano de ação da CUT-SP.

 

 

 

Ana Lúcia Firmino (Gestão de agosto de 2015 a 5 de maio de 2017)

Nascida em 1960, na cidade de Campina Grande, Paraíba, onde se formou em Enfermagem pela antiga Universidade Regional do Nordeste, em 1983. Em seguida, migrou para o Estado de São Paulo em busca de novos conhecimentos e do exercício da profissão, iniciando como residente na área de cardiologia no Instituto Dante Pazzanesse, tendo trabalhado por cerca de 25 anos e onde iniciou sua militância na greve dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde do Estado em 1993.

A partir desse processo de conscientização foi que integrou a composição da chapa vitoriosa que disputou a direção do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo, sendo eleita ao cargo de Secretária de Assuntos Jurídicos.

Ao longo desses anos teve atuação efetiva em conselhos institucionais de políticas públicas, com destaque para o Conselho Municipal de Saúde de São Paulo, onde atuou por duas gestões, no Conselho Estadual de Saúde e participação nos espaços de discussão e elaboração de políticas públicas para as mulheres, bem como no Coletivo de Mulheres da CUT.

Em sua trajetória profissional e de vida, destaca que teve um grande despertar como cidadã atuando como enfermeira do Programa Estratégia Saúde da Família (ESF) na cidade de São Paulo, onde trabalhava com a comunidade, passando a enxergar que o espaço da entidade sindical ia além do encaminhamento das pautas de reivindicações dos trabalhadores e das trabalhadoras, tendo também um cunho social relevante na medida em que atua nos espaços institucionais em conjunto com usuários/as e gestores/as para o atendimento das demandas sociais da população.

Ana Firmino foi eleita Secretária Estadual da Mulher Trabalhadora da CUT/SP, em 2015, no 14º Congresso Estadual da CUT São Paulo.

Acredita que, estando à frente da Secretaria, tem como grande desafio no movimento sindical o respeito e ações efetivas que concretizem em avanços significativos à pauta e bandeiras históricas de lutas das mulheres em toda sua diversidade, bem como as especificidades e demandas de cada ramo profissional cutista.
 



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.